CRIVELLA NOMEIA UM AGENTE DA DITADURA COMO SECRETÁRIO

 

Um abaixo-assinado está correndo pelas redes sociais contra a nomeação de um ex-membro do alto staff da Ditadura Militar.  O  secretário de Ordem Pública do Marcelo Crivella é Paulo Cezar Amêndola, que foi do DOI-CODI e é citado no relatório do grupo Tortura Nunca Mais como agente da repressão na ditadura.  Amêndola é membro da Polícia Militar desde 1974. Ele chegou a ser citado como envolvido no sequestro e morte do jornalista Alexandre von Baumgarten. Mas sua participação nunca foi comprovada. Seu nome constava na agenda de telefone do sargento Guilherme Pereira do Rosário, morto na explosão da bomba do Riocentro em 1981, segundo reportagem do jornal “O Globo” de 2011. Filiado ao PRB, o coronel foi condenado na década de 1980 por sequestro e tortura ao cobrar um cheque sem fundo de um devedor, segundo reportagens do “Jornal do Brasil”. A pena acabou prescrita. O militar fundou Nucoe (Núcleo de Operações Especiais) da PM, que daria origem ao famoso Bope. Também foi comandante e superintendente da Guarda Municipal na primeira gestão César Maia na Prefeitura do Rio (1993­1996).

PARA  ASSINAR O ABAIXO ASSINADO, CLIQUE AQUI


Comente essa Notcia




Shopping MaisRO